CARTA À NAÇÃO BRASILEIRA

CARTA À NAÇÃO BRASILEIRA

Recife, 25 de Setembro de 2018
Aos Cristãos da Nação Brasileira

Chegamos até vocês para cumprir com o nosso ministério pastoral e profético de anunciar o Reino de Deus e denunciar toda injustiça e tudo aquilo que se levante contra os valores de Reino. Para tal nesse período eleitoral e decisivo da nossa nação, recomendamos:

1. Exercer a sua cidadania – Todo(a) brasileiro(a) devidamente habilitado(a) pode e deve exercer o direito de escolher um candidato. Mas como parte da liberdade democrática, ninguém é obrigado a votar em ninguém.

2. Atentem para a importância da eleição – Os candidatos proporcionais (deputados e senadores), serão os responsáveis por criar e homologar as leis que nos afetarão diretamente. Em cada aspecto deve ser levado em consideração seus posicionamentos.

3. Serenidade diante de todo Tumulto – A campanha eleitoral está acirrada. Como fato único na história do Brasil, um candidato foi vítima de atentado contra sua vida. A serenidade é necessária diante de tanta confusão estabelecida nessa disputa. Recomendamos pensar e não se deixar manipular pelos discursos e promessas que são as mesmas a cada quatro anos.

4. Entender que obrigação não é proposta – Os candidatos a cada eleição afirmam com altivez que vão defender os recursos para  EDUCAÇÃOSAÚDE-COMBATE A VIOLÊNCIA- SEGURANÇA. Lembrem que essas são parte das obrigações constitucionais do Estado e não benefícios que eles trarão. Eles são OBRIGADOS a fazer isso. Seu candidato e seus apoiadores colocam esses temas como sendo uma grande proposta pessoal deles e não obrigação do Estado e de sua função de parlamentar?

5. Não se deixar manipular  – Sugerimos fazer uma breve pesquisa sobre o candidato e seus apoiadores, quem eles são, onde estavam e com que palanque estavam associados na ultima eleição. Poderá haver surpresa, candidatos que acusavam os que hoje são seus aliados de toda sorte de males e hoje passeiam de mãos dadas pedindo seu apoio tem se tornado comum. Eles mudaram e sempre mudam, e você mudou com eles por isso? 6. Priorizar princípios e valores. Os valores Judaicos-cristãos são a base da sociedade ocidental. Você como cristão deve lutar para preservá-los. É verdade que não estamos elegendo padres nem pastores e sim presidente e legisladores. Mas esses legisladores estão entrando nos nossos lares e contra o direito da família, têm tentado educar nossos filhos através da criação de leis e estratégias dentro do sistema educativo. Não sejamos ingênuos, o mal não se apresenta raivoso, mas sonso e cínico. O que pensam o seu Candidato ou seus apoiadores a esse respeito? Abaixo alguns desdobramentos dos Princípios e valores que defendemos como cristãos

Valores da família – A cristandade crê na família como a união de um homem e uma mulher com o propósito de ser feliz, de procriar e encher a terra da graça de Deus. Rejeitamos veementemente o que tem se chamado de “ideologia de gênero” abusando emocionalmente nossas crianças. A criação de uma criança sem a presença masculina e a feminina traz malefícios comprovados cientificamente há muito. O que defendem os seus candidatos e seus apoiadores a esse respeito?

Valores éticos – A honestidade e a integridade são valores inegociáveis. Os candidatos devem ter seus nomes limpos e nunca terem atentado contra o erário público, que drena as riquezas da nação. Recentemente vimos o nosso país ser alvo do maior escândalo de corrupção da história e talvez do mundo. Seu candidato ou seus apoiadores estão entre eles?

Valores da vida – Como cristãos defendemos a vida e somos contra a interrupção da gravidez em qualquer fase dela, desde a fecundação. Entendemos o aborto como o assassinato de um não nascido indefeso. O que seus candidatos e seus apoiadores pensam sobre isso?

Valores da justiça – Justiça na compreensão do evangelho é “fazer a coisa certa”, o cristianismo defende a igualdade de oportunidade para todos e o cuidado com os mais desprovidos e marginalizados da sociedade. Rejeitamos as sociofobias seja homo, hétero ou de qualquer tipo. Todos devem ser iguais perante a lei e todos devem ter deveres e direitos.

7. Defender a livre iniciativa e o direito à propriedade – O Estado tem suas obrigações e a iniciativa privada deve ter sua liberdade. Defendemos a economia de mercado e entendemos que o Congresso Nacional e a Presidência da República tem o dever de promover uma economia equilibrada, fortalecer o acesso ao crédito, valorizar as riquezas nacionais, diminuir o tamanho do Estado para que haja geração de empregos que trará uma sociedade mais justa e preservar o direito à propriedade combatendo as invasões dessas mesmas.

8. Entender que não há candidatos “ungidos” – A política é uma atividade nobre e deve ser exercida para o povo e em benefício dele. A Igreja não deve ser “cabo eleitoral”. A lei proíbe o uso da estrutura das religiões e da fé como plataforma de lançamento de candidatos. Estamos elegendo pessoas para fazer o bem da nação e não da minha religião. Qual a prática de seu candidato e de seus apoiadores a esse respeito?

9. Denunciar toda forma de corrupção – Ela destrói as bases produtivas e a economia da nação, drenando seus recursos e evitando que eles sejam utilizados em prol das obrigações inerentes ao Estado. Seu candidato ou seus apoiadores estão ou estiveram envolvidos em corrupção?

10. Defender o Estado Laico, mas não ateu – O Estado laico defende a liberdade religiosa e não prioriza nenhuma delas. Temos visto uma tentativa de se criar um Estado “Cristianofóbico”. Qual a postura de seu candidato e de seus apoiadores quanto a isso?

11. Rejeitar a legalização do consumo de drogas – Entendemos que o que gera o tráfico de drogas são os consumidores. Muitos deles são vítimas outros são protagonistas e, conscientes ou não, se tornam os associados indiretos dos traficantes, sem consumidores não haverá tráfico. As drogas tem sido a causa de muitos dos maiores males que vive a sociedade mundial. Como Igreja temos lutado com
nossas forças com ou sem apoio do Estado na criação de redes de apoio e casas de recuperação de usuários de drogas. Entendemos que a educação e uma família equilibrada são o maior antidoto contra o uso de drogas. Essa tem sido a missão da Igreja. O que seu candidato e seus apoiadores pensam sobre isso?

12. Escolher candidatos – Existem candidatos e partidos que facilmente podem ser identificados dentro dessas recomendações. A escolha será sempre de cada um de nós, e as consequências da mesma forma, sempre serão sofridas por cada um de nós.

“Ai daqueles que fazem leis injustas, que escrevem decretos opressores para privar
os pobres dos seus direitos e da justiça” (Isaías 10, 1)

Colégio Episcopal da Igreja Anglicana no Brasil

Revmo. Miguel Uchoa
Bispo Primaz Diocese de Recife (PE)
Revmo. Evilásio Tenório
Bispo Auxiliar Diocese de Recife (PE)
Revmo. Marcio Medeiros Meira
Diocese de João Pessoa (PB)
Revmo. Marcio Simões
Diocese de Vitória (PE)
Revmo. Bispo. Flavio Adair
Bispo Missionário Recife (PE)

DOIS NOVOS BISPOS NA NOSSA IGREJA

DOIS NOVOS BISPOS NA NOSSA IGREJA

Sábado,  06/05/2017, na Paróquia Anglicana Emanuel, em Olinda-PE, nossa Igreja, liderada pelo Bispo Miguel Uchoa no Sínodo extraordinário, elegeu dois novos Bispos auxiliares: Rev. Márcio Simões e Rev. Márcio Meira.  A Igreja Anglicana no Brasil – Diocese de Recife está em plena expansão, implantando igrejas em todo o Brasil, obedecendo ao IDE de Cristo. Em Junho acontecerá a  Sagração Episcopal

CONFIRMAÇÃO DE 37 NOVOS ANGLICANOS NA IGREJA CRISTO REDENTOR

CONFIRMAÇÃO DE 37 NOVOS ANGLICANOS NA IGREJA CRISTO REDENTOR

37 novos irmãos foram recebidos através do rito de confirmação na Igreja Anglicana Cristo Redentor, na cidade de Gravatá, Pernambuco.  O Bispo Evilásio Tenório recebeu os novos membros no Culto dominical no dia 21 de Maio.  Estavam presentes o Bispo Eleito Marcio Simões, o Rev. Mauricio Coelho, Rev Fábio Rego, Rev. Luiz Souza,  além do Reitor da Igreja, Rev. Fábio Correia.  Deus tem abençoado grandemente o trabalho dele na cidade de Gravatá.  A Deus toda glória!!!

THE CHURCH PLANTING BISHOPS OF BRAZIL

THE CHURCH PLANTING BISHOPS OF BRAZIL

Five Brazilian bishops gathered for the first time as a province at an Anglican Communion event. Gafcon 2018 is the largest gathering of Anglicans in 50 years, with about 2,000 representatives from 50 countries, and five of those participants are those who are bringing the Gospel of Jesus Christ and reclaiming the face of Anglicanism in Brazil. Their movement in Brazil is characterized by youthful passion, up and coming leaders, and new strategies.

Archbishop Miguel Uchoa and Bishops Marcio Meira, Flavio Soares, Marcio Simoes, and Evilasio Tenorio Silva gathered outside during Gafcon 2018 to talk about church planting strategies in the new province.

One such strategy is the House of Peace. Church planting is promoted primarily through cell groups, which, when they multiply to five or seven groups, combine to form a new congregation. Archbishop Miguel Uchoa explained the process:

“To start a House of Peace, we gather one cell group and they choose one house belonging to one friend, usually not a Christian, who is willing to host a Bible study for seven weeks. It is the host that will invite their non-Christian friends and family. We commit to go to that person’s house and do the bible study . . . By the end of the seven weeks, they usually want to keep meeting and if they do, we continue for another 12 weeks, which we call a friends group. Usually during this time most people accept Christ, and we start a cell group with those gathered there. If it is in a town that is far, they will multiply by doing a House of Peace themselves until they become a congregation in that area. This process is new for us in the last two years, but it has been very successful.”

The current zeal for church planting now displayed in the Province of Brazil is not much different than in the past. They were already church planters in the Diocese of Recife, but the rest of the Church was not. It was an island of zeal surrounded by a dying church that is still dying. Recife was mission-minded and continued to develop new strategies despite the lack of support from much of the other Episcopal leadership, and now that they have left to form their own province, they have flourished more than ever before.

While the zeal for church planting has not changed since the split, strategies have, and all the bishops were excited about the promising developments in the House of Peace movement. Bishop Marcio Meira explained, “With the House of Peace strategy, we have seen how we have grown and how quickly we have planted over the past two years.” They have grown indeed. Currently there are 55 churches in the Province of Brazil, three dioceses, and 74 clergy. This includes the five bishops present at Gafcon 2018, five men who are gatekeepers through which the Lord has worked to build his church in Brazil by the Holy Spirit.

Order in photo (left to right)
Bishop Marcio Simoes – Diocese of Vittoria

Archbishop Miguel Uchoa – Archbishop of the Anglican Church of Brazil

Bishop Flavio Soares – Missionary Bishop of the Diocese of Recife

Bishop Marcio Meira – Diocese of Joao Pessoa

Bishop Evilasio Tenorio Silva – Assistant Bishop for Diocese of Recife